segunda-feira, 2 de abril de 2007

Os mancos


Um eu já conhecia de longa data, o outro acabei de conhecer. Os dois se juntaram para me pagar um chopp, e confesso a vocês que essa era a oferta mais atraente que eu achava que os Claudios tinham nas mangas.

O Cláudio mais gordo, o Simões, eu conheço quase o mesmo tempo que escrevo. Ele é o maior incentivado do meu livro e é o cara que vai fazer as coisas acontecerem quando eu entregar o material. Gordinho gente boa, com um papo animado e insiste em dizer que é meu fã número 1 e eu insisto em responde-lo que preferiria que uma loira peituda ocupasse esse cargo de destaque.

O outro Cláudio, o Lemos, não é tão gordo e parece não dar tanta importância ao cabelo como o primeiro. Eu o conheci ali, naquele mesmo bar do Flamengo onde há uns dez anos atrás eu tive que comprar dois litros de sorvete para tentar matar a ressaca de uma mulher antes de deixá-la em casa. Mas isso já é uma outra história...

Fato é, que por ironia do destino outra dupla de nomes iguais cruzou a linha da minha vida tentando muda-la para sempre. Ou não. O Simões me ligou marcando o chopp. Disse que tinha algumas coisas para conversar comigo e um amigo para apresentar. Eu respondi que preferia que ele parasse com essa viadagem de fã número 1 e que me apresentasse algumas gostosas. Ele rebateu dizendo que os dois iriam pagar o meu chopp e eu pensei: que inferno, não é todo dia que você pode beber de graça e aceitei.

Quando cheguei ao bar e observei de longe alguns papéis sobre a mesa sabia que eles queriam falar de negócios. Por mais absurdo que pode parecer, eu não gosto de fazer negócios como os irlandeses. Com algumas doses etílicas na cabeça, você pode acabar esquecendo de algum detalhe bobo ou deixar os outros tirarem uma vantagem. Ou o pior, se vender por pouco. Por isso mesmo, já cheguei a mesa decidido que não sairia perdendo. Em hipótese nenhuma. Depois das apresentações e antes de pedir o meu primeiro chopp, falei para o garçom:

- Traz uma porção de lingüiça acebolada que a galera não pode beber de barriga vazia. Vocês trazem com pãezinhos?

- A nossa porção não incluiu os pãezinhos...

- Faz o seguinte, arruma uns pães, cobre o que você achar justo que a gente paga. O que não podemos é ficar sem os pãezinhos, não é mesmo?

- Claro!

- E nesse meio tempo, traz um chopp bem gelado pro seu amigo.

- É pra já!

- Vem cá, vocês ainda vendem pote de sorvete de dois litros?

- Sim, só não sei os sabores que temos...

- Pode ficar tranqüilo, eu só queria averiguar em um caso de emergência... – O garçom se foi e vi que os claudios me observavam. Isso era bom.

- Mas diz ai, moçada. Quem ganhou na mega-senna e está bancando o nosso banquete hoje?

- Vic, a gente quer fazer um filme de uma história sua. – Disse o Simões enquanto o Lemos dava uma golada na cerveja.

- Deixa eu adivinhar, vocês querem fazer um filme do Walk of Life? – os dois me olharam com os olhos arregalados e o Cláudio magro só conseguiu falar:

- Como? – E eu tive o prazer de respondê-los.

- Vocês não são os primeiros a me procurarem para fazer um curta desse texto. – E é verdade. Eles eram os terceiros a me procurarem. O primeiro foi meu amigo Edmundo, um dos garotos gorduchos do DDD. Logo que eu escrevi o texto. Ele tinha a vontade, mas estava sem tempo na época. Eu falei ok e ficou nisso. Um pouco depois apareceu um leitor, o Raphael. Cheguei até fazer um roteiro e ele um teaser trailer, mas as coisas acabaram não acontecendo.

- Mas e ai? – Perguntou o Simões, um pouco afoito.

- Nada rolou e para ser sincero, talvez seja melhor que fique assim. – Não estava fazendo nenhum joguinho. Na verdade, não tenho certeza se o que escrevo é realmente tão bom e, principalmente, se funciona em outras mídias. Mas é claro que eu acho a idéia do caralho.

- Bem cara, a gente está com umas idéias bem legais para fazer um curta. Podemos conversar e depois você decide. – Disse o Lemos e realmente era coisa mais sensata a se fazer.

Basicamente ele me deu o seu background em trabalhos de humor e de vídeo. O cara tem uma produtora de Tv e parece ser meio sabichão nesses apetrechos. Ele me contou que ele e o seu xará já estavam trabalhando no roteiro e só precisavam de carta branca para começar a pré-produção. E o mais importante de tudo, assim como o outro Cláudio, ele é gente boa.

- Bem, meninos, eu tenho uma notícia ruim para vocês. Eu não tenho nenhum puto para gastar nisso. – Ai, ai...eu e a minha sinceridade.

- Nós pretendemos fazer isso mantendo o custo baixo, arrumar atores que gostem da idéia e topem fazer isso por cerveja, a mesma coisa com os produtores e assistentes. O equipamento nós podemos conseguir boa parte. O que não der, nós vamos tirar do bolso e pagar.– O Simões sabe falar as coisas que eu gosto de ouvir. Acho que mais importante do que arrumar gente boa pra trabalhar é encontrar gente que queira trabalhar na boa. Que goste da idéia e faça tudo com sorriso no rosto. Então continuei:

- E tem outra coisa. O gordinho aqui sabe mais do que ninguém que eu estou devendo uma coisa desse tipo pros meus leitores, a galera que sempre me apoiou, me deu força, me oferece ajuda. Mas eu não posso mostrar pra eles um filme que eles sabem de toda a história, eu quero dá uma olhada nesse roteiro e incluir uma coisinha ou duas.

- Você tem que participar em todas as etapas da produção. Nós queremos até filmar uma entrevista com você para colocar no Dvd. – Disse o Lemos. Eu recuei:

- Cara, eu sou o oposto do Hitchcock. Eu faço questão de não aparecer.

- Que isso, bicho. O filme é baseado em um texto seu, em uma parte da sua vida, com você no papel principal. Não é uma questão de escolha, você TEM que aparecer! – Simões Sobressaltou-se , até deixando escapar alguns perdigotos na minha blusa. E ai, eu achei o momento certo para usar uma frase que eu sempre quis usar, mas não tive a oportunidade certa:

- Sem aparições minhas. Essa é a minha condição e ela não é negociável. – O Simões riu e respondeu:

- Ok. Eu sei que consigo fazer você mudar de idéia até o fim do projeto.

- Beleza. Vocês estão certos disso? Não vão desistir, sumir, mudar de idéia mesmo?

- Com certeza, não. Já nos dedicamos algum tempo roterizando o Walk Of Life e agora você deu seu aval, não tem como voltar atrás. – Disse o Lemos me entregando o roteiro. Eu peguei, fiz um tubo com ele e apontei para os dois:

- Nessa segunda eu vou escrever toda essa conversa no blog. Caso vocês desistam, eu não vou pensar duas vezes, publico o e-mail dos dois por lá e peço para que os meus leitores torrem o saco de vocês até o inferno congelar. – Eu sei que eles não vão desistir, como eu disse antes, eles são gente boa. Mas eu sempre quis usar também a expressão “até o inferno congelar”.

- Pode ficar tranqüilo, Vic. – Respondeu o Simões tranqüilo.

- Dá uma olhada no roteiro e nos mande as mudanças que você quer. – completou o Lemos.

- Pode deixar. I got the action, I got the motion.

E ficamos lá bebendo e debatendo um pouco mais sobre o roteiro, sobre a vida, o universo e tudo mais. O que posso dizer para vocês que acredito que em Maio, quando completaremos dois anos juntos aqui nessa bagaça, finalmente terei alguma coisa de qualidade para oferecer a vocês.

18 comentários:

  1. Primeiramente, PARABÉNS!
    Estou ansioso para ver o filme...

    Pergunta .:. Eu já li este texto no blog?


    Quero a oportunidade de usar a frase;
    - Vivo ou morto vc vem comigo!

    quando eu virar um vigilante solitário, quem sabe... quem sabe...

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! Esse texto é realmente do caralho! Vai ser muito bom mostrar um vídeo pra todos os meus amigos!

    ResponderExcluir
  3. Parece legal, boa sorte Vic. Que tal linkar ou republicar o texto já que o antigo blog morreu?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Vic, tomara que dessa vez de certo.
    Tenho certeza que será um bom trabalho! Avisa aí qdo estiver pronto.

    ResponderExcluir
  5. Bela noticia véio, parabens.

    Tem como linkar o texto? Não lembro se já li ele...

    ResponderExcluir
  6. Preferia uma loira peituda me oferecendo algo de qualidade.

    Hehehe, parabéns Vic, pule "de dois pé" no projeto!

    ResponderExcluir
  7. Cara com teu talento mais cedo ou mais tarde é reconhecido.

    Só reze para que não seja uma homenagem póstuma, que também é possível.

    ResponderExcluir
  8. Brother...
    Acho que todos esperamos algo assim.. ou o livro ou um curta... Aliás vc nem merece os parabéns e o projeto do livro?? parou??

    Abs,

    Bad Xerif (SSA-Ba)

    ResponderExcluir
  9. Porra, foda cara. Parabens!

    Reforço o pedido já feito de outros leitores, poste novamente este texto, não me recordo de ter lido!

    Já que vc vai mudar "umas coisinha ou duas" naum tem problema. eheheheh

    abração

    ResponderExcluir
  10. Demoro!!!!

    Você merece brother, você é um daqueles caras que apenas precisam de uma chance para aparecer e começar a ganhar a grana que merece (provavelmente menos, porém já é algo) =D


    Sugiro publicar novamente o post pra geral relembrar qual quié da história.

    Mais uma vez, parabenizo-lhe (sei nem se existe) pela.. parabenizo porro nenhuma, parabenizo (continuo sem saber se existe esse termo) os Cláudios que além de notarem o quanto você é bom, estão partindo pra uma producao alternativa.. caralho, tudo combina! So faltava você de ator principal! =PP

    Fico/fiquei/ficarei bem feliz com esse novo lance que tá acontecendo na sua vida.

    Tudo de bom, e corre corre que a vida e loca.


    Abração

    ResponderExcluir
  11. Vic, uma pergunta: Qual a coisa mais estranha que você já cheirou?

    Aposto que não ganha do Keith Richards!!!

    Keith Richards cheirou o pai

    ResponderExcluir
  12. esse curta vai ser interessante.
    não consigo criar nenhum tipo de expectativa.
    é como uma cesta de amoras.

    é, eu sempre quis usar essa frase.

    ResponderExcluir
  13. ae vic.. s liga nessa..
    um amigo(Paulo) teve uma boa sacada..
    censuraram teu blog antigo mas qlqr mané pode ler seus txts atraves do web archive..
    toma o link: http://web.archive.org/web/20060223234320/www.badtrip.com.br/viciadocarioca/

    espalha essa pro pessoal..
    abracao

    ResponderExcluir
  14. porra.. o link saiu pela metade..
    toma o q faltou do link:
    ... trip.com.br/viciadocarioca/

    ps:parabens pelo filme

    ResponderExcluir
  15. massa andy, mas soh tem post até fevereiro de 2006... rolou muita coisa boa de lá pra cá... mas já é alguma coisa!

    ResponderExcluir
  16. Olá Vic!

    Meus sinceros PARABÉNS pela notícia! Muuuuuuuito legal! Você merece MESMO ser reconhecido!

    Publica a história de novo?? Não tô me recordando bem qual é, e já que o antigo BloG tá fora, a galera vai ter a chance de rever.

    Pode deixar que se precisar encher a caixa de e-mail dos caras eu vou dar a maior força (auhauahuauha), mas não vai precisar, não é mesmo?! Vai dar tudo certo.

    No mais, parabéns pelo BloG também. As histórias são sempre ótimas.

    Vou tentar aparecer mais. Primeira vez que comento, apesar de estar sempre por aqui.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  17. churrascoPô cara,mau posso esperar!

    ResponderExcluir