sexta-feira, 8 de junho de 2007

Viciado.....Fluminense?

- Como assim o Viciado Carioca não é carioca? – E quando você acha que já escutou de tudo nessa vida, sempre aparece um palerma com uma caixa de surpresa em baixo do braço.

- Calma, Vic. Deixa eu te explicar. – Mesmo com toda essa friaca que está fazendo no Rio, O Cláudio gordo estava suando. Ele gesticulava para cima e para baixo enquanto eu tentava focar em algum outro lugar. Furioso.

Como eu contei a vocês no outro post, eles fizeram uma seleção de elenco na semana passada para o “Fazendo as Regras” e aparentemente o ator escolhido para fazer o meu papel, não é carioca.

- Vic, presta atenção, o cara é um ótimo ator, tem o físico certo e, principalmente, está cheio de vontade de ser o Viciado Carioca. – O Cláudio magro tentava me acalmar, mas aquilo não entrava na minha cabeça.

- O Viciado Carioca não é Carioca. No mínimo é careta também. Beleza, vamos ver o filme do Careta Paulista. Olha que coisa mais sem graça.

- Porra, Vic! Não precisa fazer um escândalo sobre isso.

- Cara, pelo que sei metade dos meus amigos querem ser o Viciado Carioca. Tirando o Assis que pega mulher pra cacete e o Lucas que é feliz dentro do mundo gordo dele, o resto até pagaria para ser eu por 20 minutos. Escolham o Décio. Ele é carioca e até onde eu sei, ainda é Viciado! – Eu nem sabia o que estava falando. Na verdade, o magro tinha até razão nas suas palavras.

- Nós não vamos escolher uma pessoa que não é ator só porque ele é Carioca. – Disse o Magro de forma definitiva. Eu ainda argumentava:

- Mas o Viciado Carioca não é Carioca. Isso é como dizer que o Rei Momo não é gordo!

- Mas o Rei Momo não precisa mais ser gordo. Basta ele ser alegre. – Corrigiu o gordo. Eu respondi:

- Olha, Cláudio, você entendeu o que eu quero dizer! – Então ele veio com o fato definitivo:

- Eu entendi, você é que ainda não entendeu. O cara é ator e fez o teste muito bem. Quantos atores você vê interpretando nordestinos na televisão e não são nordestinos? Essa é a base de ser ator, interpretar algo que você não é! – Maldito gordo. Ele tinha razão nisso. Além do mais, os atores estudam técnicas sinistras para neutralizar sotaques. No final, até que não poderia ser tão ruim...

- Ele pelo menos é Fluminense? – perguntei. É claro que o Magro respondeu de maneira idiota essa minha pergunta:

- O que importa o time dele?

- Eu estou cagando se ele é tricolor, Flamengo ou Botafogo!

- Ah, sim. – ele riu por conta de sua própria idiotice – desculpa, ainda estou nervoso pela discussão. Ele é de alguma cidade do interior do Estado. Não me lembro agora qual... Mas fica tranqüilo. Quando você conhecer ele, vai aprovar. – Bem, realmente não tinha mais nada para ser dito sobre aquilo. Vamos passar então para pauta sacanear os produtores:

- O que vocês têm mais a me dizer? Quem vai interpretar a Dani é um moreno, forte, alto e de peruca?

- Nada. Arrumamos uma mulher bem gata para ser a Dani. Provavelmente melhor do que a própria Dani. – Disse o Cláudio gordo dando uma baforada em seu cigarro. O que me fez lembrar de outro ponto:

- Foi bom você me falar isso, porque tem uma coisa que está me preocupando.

- O que é? – ele perguntou.

- Sabe nos filmes quando eles dizem que aquilo é uma história fictícia e que nenhum daqueles personagens são reais, blá blá blá?

- Sim. – respondeu.

- Não é o caso. E o Luiz ainda é bem puto comigo por conta desse fato.

- Que isso, cara. – Eu continuei:

- Pois é. Sabe aqueles irmãos que são beques de buceta da irmã mais nova? Esse é o Luiz.

- Mas e daí? Você acha que ele vai querer pegar nós todos de porrada quando descobrir sobre o filme? – O gordo perguntou.

- Bem....não achava...mas agora que você falou.....

- Esse filme esta ficando cada vez mais complicado do que quando estava no papel. – disse o magro. Aproveitei para externar a minha real preocupação:

- Ele pode nos processar?

- Creio que sim. – respondeu o gordo. Ficamos em silêncio. Ele deu um boa golada na cerveja e outra baforada no cigarro e disse: - Agora é muito tarde para desistir. Vamos continuar e vê que bicho vai dar. – Eu sorri e disse:

- Isso! Vamos ligar o foda-se!

- Cara, quando você comeu a irmã dele você já assinou uma declaração de guerra. Quando ele descobrir que você escreveu um filme sobre isso, vai ser sua sentença de morte. – O magro disse com um tom um tanto quanto cavernoso.

- Na verdade ele já sabe que eu escrevi sobre aquilo no blog e fiquei sabendo que ele ficou realmente muito puto. Até acho que foi ele que fez uma queixa sobre o meu antigo blog no Ministério Público. Eu nem sei o que ele pode fazer quando descobrir sobre o filme. Eu acho que vou realmente trocar de lugar com esse Viciado não-carioca. Vou deixá-lo a mercê do Luiz e vou fugir para o interior do Estado.

Isso foi mo meio da semana passada. No fim de semana rolaram as gravações de algumas cenas. Eu tive que aparecer. O encontro entre o Vic real e o Vic fictício. Quando cheguei eles estavam gravando uma cena. Sentei no fundo da sala e fiquei observando. Eles ainda não sabiam quem eu era. Percebi logo quem era Vic e quem era Luiz.

Uma sensação muito estranha. Os caras ali revivendo uma cena da minha vida. Nesse momento eu percebi o tamanho da coisa. Pelo menos em caráter pessoal. Muito louco. Quando a cena acabou e as apresentações foram feitas, os dois vieram falar comigo.

- Então, você é o Vic? – o Vic me perguntou. É claro que respondi a coisa mais óbvia:

- Não, você é o Vic.

- Podes crer. Dei uma olhada no seu blog. É bem legal.

- Obrigado.

Luiz também veio falar comigo. Ele é mais assustador que o Luiz de verdade. Olhei para um lado e para o outro em busca da Dani. Se eu me dei bem com a de verdade, talvez eu pudesse marcar alguns pontos com a de mentirinha. Mas ela não estava. Naquele dia eles só iam gravar as cenas com os dois homens. Peguei um pouco de água. Demorei em me refazer. Escutar o Luiz de mentira gritando para o Vic de mentira se ele tinha ou não comido a irmã era surreal. Todos os sentimentos que passei naquela época afloraram. Minha mão, tremia. Alcancei um cigarro e comecei a fumar. Eu sentia orgulho misturado com outras coisas que realmente eu não sei descrever.

Só ao longo das gravações é que eu fui aceitando a coisa. Um filme de um texto meu. É incrível. Fora que a produção era boa. Achei que ia encontrar um cara com uma câmera na mão, outro com um microfone e os dois atores. Coisa nenhuma. Tinha gente para todo lado. Diretor de elenco, de objetos, operador de câmera e uma claquete. Todo mundo trabalhando sem ganhar um centavo se quer. O dinheiro que eles colocaram foram para o aluguel dos equipamentos de luz, som e imagem.

Fiquei observando o Vic. Apesar de não ser carioca é um ótimo Vic. Sua risadinha irônica, sua cara de deboche, linguagem corporal, etc. Eu vou ficar repetindo palavras como “estranho”, “incrível”, “assustador”. Mas nós, pessoas normais, nunca esperamos nos ver sendo interpretados por alguém. Antes de eu ir embora, ele me disse que estava se amarrando em ser o Vic e eu disse a ele que ser realmente o Vic não era tão legal assim, mas que ele estava fazendo um ótimo trabalho em fazer eu parecer um cara bem legal.

Fiquei mais seguro de ter ido até as gravações e ver o trabalho de perto. Apesar de ver a qualidade dos outros trabalhos da Presto, eu tinha que sentir a atmosfera. Muito bom. Uma salada de emoções que eu nunca pensei que iria viver. Estou na expectativa de ver o resultado final. E quando pintar novidades, eu estarei aqui para contá-las.

22 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaaaa

    agora eu sei qual é esse conto...


    me lembrei... hauahuahau



    muito bom...



    ahuahuahauahu

    a escolha foi bem feita

    xD

    ResponderExcluir
  2. Deve ser loko msm... sua vida sendo interpretada, sei lá... doidera msm..

    Essa história foi mto boa msm.. me lembro dela!

    Abraço cara.. até

    ResponderExcluir
  3. Nossa que show!
    Mas vamos combinar que você bem merece hahahaha!

    Nossa, um Carioca Paulista?!
    Ainda bem que o cara é um bom ator, já pensou uma puxada de "r", ia fazer você enfartar! Hahahaha!

    Parabéns e boa sorte!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. Muito show cara!! Também lembro do conto... o Vídeo vai estar disponível quando? final do ano??

    parabéns brother!!!

    ResponderExcluir
  5. Poxa, essa história foi boa pacas, lembro quando li ela aqui Vic.
    Ser interpretado por outra pessoa deve dar uma sensação medonha.
    É como se o quem eu imagino que sou saltasse para a realidade, enquanto o "eu" que eu sou realmente continua aqui...
    Mal posso esperar pela película pronta...

    ResponderExcluir
  6. Também ri pra caralho lendo este post porém gostaria encarecidamente de le-lo novamente e nao consigo achar esta porra na internet, nem naquele web time machine. Vc poderia posta-lo denovo ou agora com o filme sendo rodado quem leu leu quem nao leu espera? Abrçs!

    ResponderExcluir
  7. Eh, eu tbm nao consigo imaginar como eh ver alguem me interpretando, encenando algo q aconteceu na minha vida. Algo q eh tao interessante, q vale ser re-encenado!

    Agora...um viciado carioca paulista seria muito engracado...

    ResponderExcluir
  8. Poxa, Daniel, eu não pretendo recolocar o post antes do lançamento do filme. Acho legal o pessoal não lembrar dos detalhes e lembrar quando estiver vendo o filme.

    Depois de algum tempinho do filme lançado eu prometo colocar o post outra vez, combinado?

    abs

    ResponderExcluir
  9. Olá, Vic. Leio seu blog há um tempão, mas nem apareço pra comentar por que essino o RSS e nem passo por aqui.
    Parabéns e tudo mais.
    Você tem como disponibilizar o "Walk of Life" novamente?

    Estou querendo publicá-lo no meu site (www.vitrinevirtual.com) mas não encontro em lugar algum. Claro que todos os créditos do texto serão seus, apenas quero divulgar o seu trabalho.

    Se puder me mandar um email com o texto, ou o link de onde posso encontrá-lo, ficarei muito grato.

    Espero ver o curta o quanto antes, abraços e sucesso pra você!

    ResponderExcluir
  10. orra vic! se vc quiser um paulista para interpretar vc da próxima vez, me avisa! huahahahahaha!

    na real, parabéns pelo filme, que dê tudo certo por aí e pouta inveja desse lado da ponte aérea.

    ResponderExcluir
  11. Ow Vic, blz?
    Vc tem um email para contato cara? Procurei aqui e num achei...

    Valeu!! Abraço

    ResponderExcluir
  12. Opa, foi mal, postei o comment acima sem estar loggado... sobre seu email...

    Abraço

    ResponderExcluir
  13. eu lembrei desse conto agora, ele ficou pra sempre na minha cabeça, o curta deve ficar muito bom!!

    deviam fazer um conto dessa sua saga aí do carnaval em minas, qdo vc virou o vic, a história tb eh mto boa!

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Putz, realmente deve ser loco ver alguém "se passando" por vc.

    To mto ansioso pra assistir esse filme!
    E tb ler o conto, juro q desde que vc notificou sobre o filme não consegui lembrar se li ou não o texto.

    To no aguardo
    abração cara

    ResponderExcluir
  15. muito doido....mas como não consegui ler o conto que deu inicio ao que agora vai virar filme...to emio perdido...mas parece que foi bem doida a viagem...

    e o cara pelo menos era fluminense? Ou era paulista e corintiano......

    saudações...

    ResponderExcluir
  16. Foda! Vc vai ser um kra importante Vic, jaja tá mais conhecido q o Jeremias..

    ResponderExcluir
  17. Voce pelo menos está tirando fotos e filmando pra gerar um Making Of?

    ResponderExcluir
  18. Só falta o cara falar "Ô meu, dessa vez eu passo, tá ligado?"! Muito foda fazer um filme sobre você.

    ResponderExcluir
  19. Ola,

    Fugindo um pouco dos outros comentarios, queria saber se você pretende colocar os textos do antigo blog aqui ou em qualquer outro lugar. Tinha muito texto bom que eu gostaria de reler. Não só eu, mas acredito que muitas pessoas que acompanhavam o blog antigo tambem gostariam. Alias, nem precisa colocar o Walk of Life que esse eu me lembro bem.

    Tambem seria legal os leitores mais novos conhecerem a trajetoria do cara que vendia sua coleção de hq's
    pra comprar pó pro cara que esta tendo textos filmados.

    Abraços

    ResponderExcluir
  20. Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

    ResponderExcluir
  21. vic ta vip! :P

    mas o cara parece fisicamente com vc um poquito pelo menos? deve ser esquisito mesmo hehe...

    xerosss
    .
    .
    .

    ResponderExcluir
  22. Agora imaginese voce interpretando a vida do viciado carioca paulista ?

    ... hum.... confundiu em ?

    ResponderExcluir