terça-feira, 24 de julho de 2007

Ai, se eles me pegam agora





Compre agora o livro do Viciado Carioca. Trinta contos de humor viciantes que te deixarão de olhos vermelhos, de tanto rir.



Para ser bem sincero, não é o meu tipo de lugar. Primeiro que não é um bar, apesar de enganar bem pelo visual e pelo chope bem gelado e bem tirado. Depois, por ficar no coração do Jardim Botânico, ou seja, lugar de pessoal com bufunfa. De qualquer forma, aceitei ir nessa pizzaria chique para alegar o pessoal do trabalho.

Já escrevi uma vez sobre isso. Chope corporativo não é muito meu forte. Eles são tão óbvios. Era aniversário de fulaninha que trabalha no financeiro. Tudo bem, vamos lá fazer uma média, aumentar a minha rede de relacionamentos e essas coisas que a revista Você S/A recomenda o tempo todo.

Assim como existem pessoas que gostam de cachorros, pessoas que gostam de gatos e solteironas que possuem os dois e mais um papagaio, existem as pessoas que gostam de pizza, pessoas que gostam de sanduíche e gordos inveterados que comem tudo e ainda rebatem uma feijoada. Bem, eu sou uma pessoa de cachorros e sanduíches, apesar de saber que não dá certo misturar os dois. O gosto é bom porém um sanduíche de cachorro pode ter muito pêlo.

Fato é que não me empolguei muito com a pizza e parti pro chope. Isso também não é muito recomendado pela revista Você S/A. Dizem que você deve ser comportar bem nesse tipo de evento. Eu prefiro ser autêntico. Ô garçom, desce mais um aqui pro seu camarada. E vamos lá. Em menos de uma hora, eu já era o cara mais falante da mesa. E pode descer mais um, meu amigo.

O papinho estava monótono. Mais uma vez aquele velho assunto de trabalho. E eles estavam ferrenhos. Tentei puxar assuntos mais interessantes, como o vídeo no You Tube ensinando a fazer sexo anal, mas não rendeu muito. Eles estavam empolgados em falar de trabalho. Nisso, me retrai e comecei a saborear uma bebedeira solitária.

Eu não sei quando deu essa vontade de mijar. Se fosse arriscar um palpite, diria que foi alguma coisa entre sétimo e o nono chope. Com certeza eu teria ido no quinto se soubesse o quanto longe era o banheiro.

Cheguei ao banheiro e me surpreendi. Lugar estranho. Rolava uma parte que era com céu aberto, umas cadeiras, uma mesa e um cinzeiro. Fiquei imaginando que tipo de sujeito estranho se senta ali para fumar um cigarro e ficar manjando as rolas. Se ainda fosse no banheiro feminino, eu entenderia. Mulher gosta de fofocar no banheiro e tudo mais. Que se foda. Segui pro mictório e comecei.

Não demorou muito e um malandro parou no mictório do meu lado. Isso é irritante. O banheiro todo vazio e o desgraçado para logo no vizinho. Devia ter um banheiro separados só pros manjas. Aposto que deve ter sido idéia desse desgraçado o lance das cadeiras no banheiro. Não pude me conter. Tive que dá uma sacada pra ver a cara do sujeito e quando viro me deparo com Chico Buarque.

Pois é, não era um malandro e sim o malandro. Odeio decepcionar os fãs de uma boa MPB, mas Chico Buarque é manja rola. Brincadeira, não vou sacanear assim o Chico. Certamente deve ter sido um deslize. Mas eu fiquei postado, sem raciocínio, com o meu caro amigo na mão. E Chico Buarque ali, ao meu lado, com seu cálice desejado por muitas mulheres no mundo todo. E foi nesse momento que eu comecei a me perguntar se eu deveria ter a minha primeira experiência homossexual.

Eu sou um beberrão. Um alcoólatra. Um perdido. Bebi em vários tipos de bares e mijei nos mais diferentes tipos de banheiro. Devo conhecer, por baixo, mais de duzentos banheiros diferentes no Estado do Rio de Janeiro. Posso confessar, às vezes acontece de você ver uma rola uma vez ou outra sem querer. Tu entras no banheiro e às vezes tem um filho da puta quase na pia e com a mangueira na mão. Infelizmente acontece. Fora isso, tinha o banho da educação física no colégio. Uma porrada de homem tomando banho em um vestiário minúsculo. Acontecia de você acabar vendo uma banana ou outra. Teve também a vez que eu fui me alistar. O sargento fechou a sala e mandou mais de 40 malucos baixarem as calças juntos. Você acaba vendo, mesmo sem querer.

Mas naquele banheiro, eu com meu guri na mão e Chico ao meu lado com seu zepelim prateado pra fora foi a primeira vez que eu tive vontade de dar uma manjada. Não era uma rola qualquer, era uma rola que havia sido exilada durante o regime militar. E se a ditadura ficou com tanto medo daquela pica que a isolou na Europa, devia ser uma senhora rola. Por outro lado, olhar para um mastro assim, de forma consciente é uma experiência homossexual. Sem sombra de dúvidas. Macho que é macho não anda por ai manjando picas em banheiro, por mais genial que a pica seja.

Então, estava eu lá com o meu profeta embriagado na mão e Chico com seu poeta delirante ao lado. Eu falava comigo mesmo sobre aquela vontade de manjar o Chico: “Vai passar! Vai passar!”. Se fosse Caetano, eu dispensava na mesma hora. Se fosse Gil, eu esconderia para ele não me palmear. Chico era tentador. Rezava para que o Pai afastasse de mim aquela vontade.

Mas era Chico Buarque. Na época da faculdade, você nem podia ir a certas festinhas se não soubesse pelo menos umas dez músicas do Chico de cor. Quantas maconheiras eu não comi citando Chico Buarque? Quantas vezes eu não cantei bêbado, junto com tudo que é nego torto, “Apesar de você”? Eu devia aquela manjada ao Chico.

Pois é, não resisti. Coloquei o meu prefeito de joelhos e fui olhar o bispo de olhos vermelhos do Chico. E digo mais, manjei daquela vez como se fosse à última. E espero que seja. Comecei com uma olhadela um pouco tímida, mas depois parti para aquela secada de respeito. Ora bolas, se eu tivesse escrito “A Opera do Malandro” eu também iria querer que os outros me manjassem na rua. Na verdade, iria mostrar a minha rola paratodos, dar uma, duas, três piruetas e ainda ia exigir que todo mundo gritasse “Bravo! Bravo!”.

Estava eu segurando o Vic e Chico segurando o Buarque. Posso definir aquela nossa situação com o nome de uma música do Chico: Trocando em miúdos. Nada de especial. Confesso que é uma rola cansada. E não poderia ser diferente. Marieta colou nela como se fosse tatuagem durante anos. Fora os quebretes que Chico deve ter dado por ai em suas andanças pelo mundo quando estava na flor da idade. Em fim, eu sei que não existem pecados ao sul do Equador e não me arrependo pela manjada, mas confesso que não repetiria a dose.

Finalmente dei aquela balançada e saí. Senti que Chico ficou um pouco arisco com aquela manjada. Ele veio até a pia logo depois de mim. Pensei em perguntar se ele era fã de Toquinho, sabe como é, para quebrar o gelo. Mas desisti. E quando fomos disputar o papel toalha foi que rolou o momento “Olhos nos olhos”. E que olhos! Realmente um homem com aquele talento musical e com aqueles olhos verdes, não poderia ter uma grande tropicália. Seria injusto com os meros mortais. Chico foi simpático, me mandou um sorriso. Eu ri de volta e não consegui falar muito coisa além de:

- Roubei todos os seus discos do meu pai.

- Ele deve ter ficado chateado.

- Mas valeu a pena.

- Obrigado.

E partiu. A banda passou e eu fiquei. Sentei na cadeira dos manjas rolas e fumei um cigarro. Não foi uma atitude inteligente, mas não é todo dia que você manja o Chico Buarque e devo confessar uma coisa a vocês. São desses pequenos, minúsculos, efêmeros momentos que a vida é feita. Tenham certeza disso.

Pré Venda: Viciado Carioca – Amor & Rock and Roll – o livro que reúne os Arcos I e II dessa incrível saga! Pré Venda com um preço super promocional e para um número limitado de livros. Compre agora e garanta o seu!

38 comentários:

  1. Que foi isso Vic?

    Ainda abalado pela mulher do piercing??

    Abs,

    Fura Olho

    ResponderExcluir
  2. Sempre passo aqui e nunca comento..Mas dessa vez, tive que comentar..O Chico? comc erteza eu não teria apenas manjado..
    Aiai..

    ResponderExcluir
  3. Ahahaha! Fico sem graça de comentar em blogs de desconhecidos, mas esse texto tá demais! Mas não ouse falar do pequeno notável do grande Chico, novamente. E confessa, é invejinha, né? :P

    ResponderExcluir
  4. hahahahaha!

    VIC ri demais dessa tive até que postar em outra comunidade.

    Se quiser ver os feedbacks segue o link:

    http://www.bf2brasil.com/forum/showthread.php?t=40566

    E quem é fã de Chico entende e perdoa sua fraqueza pode ter certeza haha..!

    ResponderExcluir
  5. literalmente DO CARALHO esse post

    ResponderExcluir
  6. pqp que pizzaria era essa vic?

    ResponderExcluir
  7. Por isso que eu odeio mictórios! Sempre tem um manja pra ficar olhando de canto de olho!

    ResponderExcluir
  8. Fala a verdade, você queria fazer um comparativo não queria?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. todo mundo deve querer olhar o pau de chico. ele já parou do lado pra facilitar





    tá ficando cada vez melhor isso aqui.

    ResponderExcluir
  10. Porra brilhante esse Post. A forma de você escrever fazendo uma caralhada de referencias ao chico e o finalzinho foram muito boas! Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Pois é, eu sou um manja rola há 47 anos (comecei cedo), e fiz um banheiro designado especialmente para essa arte, que por muitos é vista como perversão. Vejo que você apreciou, e ainda se utilizou da minha área de bancos, fico feliz. Mas jamais difame meu ambiente mictorial como se ele fosse um qualquer. Sabe, o Buarque mija ali.

    ResponderExcluir
  12. Acho que uma das únicas vantagens que temos sobre os homens é esta do banheiro. Temos portinha para nos proteger...Sem contar que se escolhemos ficar de porta aberta a amiga entende o recado e não fica manjando nada...apenas bate-papo.

    ResponderExcluir
  13. Vc me cruza com Chico Buarque... "O CHICO BUARQUE"... Dá uma manjada, pelo jeito das boas nele... E nem pede um autógrafo prá mim?!

    Humpf!

    Brincadeirinha hahahaha

    Mas essa história da manjada é totalmente plausível... Não é qualquer um, é o Chico... Tem sentido sim vai!

    Beijão

    ResponderExcluir
  14. Vic,
    Apesar da manjada o texto ficou literalmente du caralho !
    Esse texto mostra que como o Chico você tem o "dom" com as palavras.
    Keep Drinking !

    ResponderExcluir
  15. Apesar da manjada o texto ficou literalmente du caralho ! ²

    [tivi que copiar, o bruno mando muito nessa afirmação...]

    é vc cotinua nesse nivel de escrever, extremamente perfeito. xD

    vic vic, se continuar assim, veremos vc um dia no jo xD

    ResponderExcluir
  16. Hahahaha, "Chiquinho" Burque... quem diria...

    Hehehehe.

    Abração, Vic.

    ResponderExcluir
  17. Hahahahahaha... manjada de rola no melhor estilo Raimundo Fagner!

    ResponderExcluir
  18. Vic,

    Este seu texto me fez escrever uma coluna.

    Depois gostaria da sua opinião, e também dos que comentaram aqui, pois também se refere um pouco a eles.

    Abraços,

    Fura Olho.

    ResponderExcluir
  19. É, não deve ter sido uma decisão facil.
    Uma vez manja rola, sempre manja rola...cuidado...

    ResponderExcluir
  20. Geeente, o Chico!!

    Aposto que não deve ser pequeno, vc que devia imaginar muito maior...

    ResponderExcluir
  21. Putz! essa historia de cinema ta te deixando meio tchola. a outra metade continua normal. Do chico buarque no maximo eu aceitava um aperto de mao mijado. hahaha

    ResponderExcluir
  22. Devolva-me meus discos.

    Porra além de viciado,pé de cana;é ladrão tb.

    Papai

    ResponderExcluir
  23. Favor devolver meus discos. Porra além de viciado,pé de cana; é ladrão também?
    O melhor é ser político.

    Papai

    ResponderExcluir
  24. Ainda fumou o clássico cigarrinho... só faltou o Chico perguntar se foi bom pra você.

    ResponderExcluir
  25. o quê, você ainda pensou se manjava ou não manjava?
    Bem, vic, só tenho uma coisa a dizer: tu é macho paca! Ali foi o definitivo e derradeiro teste pra conferir se você tinha algum pendor pra viadagem... (agora, só não sei se é caso de comemorar ou lamentar...)
    Sorte e saúde pra todos

    ResponderExcluir
  26. ...realmente me comovi com seu dilema MANJAROLISTA-HETERO.

    E também pelo seu extenso leque de sinônimos. Agora preciso me equilibrar e pesquisar no google "manjaxota" "manjabuça" e similares.

    ResponderExcluir
  27. Um experiência homo com certeza!
    Foi bom para vc Vic?

    ResponderExcluir
  28. O marlho que li em todos os blogs do ano.
    hahahahahahahahahaha

    ResponderExcluir
  29. chagas abertas.
    se eu fosse homem, eu também teria uma experiência homo com cb.
    mesmo que fosse uma experiência ocular.

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Bom dia meu caro amigo desconhecido,

    Não lhe conheço mas não tenho como não comentar, um dos mais engraçados texto que eu li nos ultimos tempos....E não fique envergonhado, afinal era o Chico de mulheres de Atenas....

    ResponderExcluir
  33. Muito bom seu texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
  34. Rindo muito,com os olhos cheios de lágrimas pela emoção de conviver com alguem tão talentoso; acabado de descobrir quem roubou a minha coleção do Chico Buarque. Chame o ladrão, chame o ladrão..............

    ResponderExcluir