quinta-feira, 6 de março de 2008

Juno x Rambo IV

- Está passando Rambo IV no Rio Sul as 16:00. Bora? – Disse ao Lucas enquanto eu olhava o jornal. Do outro lado do telefone, o Gordo entregava um DVD para o cliente.

- Vem cá, você não foi trabalhar de novo? Qualquer dia o seu chefe vai reparar que você fica doente pelo menos oito vezes no ano e sempre na segunda-feira. – Ele me repreendia como se eu precisasse de um pai gordo para me colocar nos eixos.

- Vamos lá, Gordo. Hoje é segunda-feira e decretei feriado! Depois nós podemos tomar umas cervas em um lugar legal. Talvez no Evanildo. – Evanildo é um buteco fuleira que eu e o Lucas gostamos de ir porque o garçom é aficionado por cinema, mas consegue confundir o nome dos filmes, dos atores e das cenas de forma indescritivelmente hilariante.

- Eu vou ter que arrumar alguém para me render, Raulzito. Não sei se a minha irmã está disponível. – A irmã do Lucas é mais gorda do que ele. Ela sempre está “disponível”. Então eu resolvi apelar:

- Fala para ela que é por mim. Ela vai aceitar. Ela me ama. –

- Eu já falei das outras 12 vezes que era para você. Não sei se você já percebeu, mas nós temos que inventar outra desculpa.

- Se vira, gordinho.

- Mas tem um lance. – Não sei por que, mas o meu faro de “tem merda no ar” disparou de uma forma alucinante.

- Qual foi Gordo?

- Poxa, porque ao invés de ver Rambo a gente não vai ver Juno? – Fiquei calado. Estava mais petrificado que o Han Solo no final de O Império Contra-Ataca. Peguei um cigarro. Era o último do maço. Fiz uma bolinha com o maço vazio e acendi um Marlboro. O cigarro é o último resquício de que eu fui um drogado um dia. Sem contar o meu apelido, é claro. E depois que eu já tinha dado umas duas tragadas e que o Gordo teve tempo suficiente para pensar na merda que ele disse, eu respondi:

- Você está querendo me comer?

- Que porra é esse, Vic? É só um filme diferente, alternativo, deu vontade de ver.

- Gordo, esse é o tipo de filme para você ver com a mulher que você está pegando ou que você quer pegar. Não é para dois caras como nós que vamos ver um filme e depois tomar umas cervejas.

- Ah, Vic. Rambo not good. Juno rock’s. – O desgraçado do Lucas só completou porcamente o segundo grau. Se o pai dele não tivesse uma locadora ele seria uma espécie de Bukowski da maconha, mas sem a parte interessante da escrita. Mesmo assim, ele aprendeu inglês vendo os filmes americanos e fica encaixando “expressões” em inglês nas suas falas, com um sotaque horrível. As vezes, ele mesmo inventa as próprias expressões.

- É sobre uma adolescente grávida. Eu fujo de adolescentes grávidas desde os meus quinze anos de idade! Por que agora, depois de velho, eu vou pagar para ver uma adolescente grávida?

- O filme ganhou o Oscar de roteiro original.

- Ele concorreu com uma porra de rato que cozinhava e um cara que se apaixona por uma boneca inflável, meu Deus. Isso é mais fácil do que ganhar uma corrida competindo com o Lars Grael!

- Porra Vic, quem já viu um Rambo já viu todos. Mas esse filme, Juno, esse filme parece ter alma. – As vezes é mais fácil convencer uma mulher na noite de ficar comigo a fazer o Gordo mudar de idéia quando ele cisma com algo.

- Você está aviadando, Gordo. E agora, pensando melhor, não é bom ver esse filme nem com a mulher que você está pegando.

- Why not?

- Imagina. Você assiste Star Wars e saí do filme querendo ser um Jedi. Você vai no Rambo e sai querendo metralhar todo mundo. Você assiste Independence Day e saí do filme querendo ser o presidente dos Estados Unidos e detonar todo alienígena que você vê pela frente...

- Whatever....?

- E sua mulher vai ver Juno e imagina as idéias que ela pode ter quando sair do cinema? Cara, esse filme é uma armadilha para homens. Foi escrito por uma ex-stripper, Lucas. Essa mulher deve ver os homens como animais sem coração que traem suas esposas, tratam as mulheres como objeto e obrigam-nas a tirar a roupa por dinheiro. Essa é a vingança dela contra a raça masculina. Fez um filme com a cara de cordeiro, mas que vai colocar idéias malucas em toda mente feminina desse planeta.

- Você está maluco, Vic. Você está ficando fucking crazy....

- Tudo bem, eu admito. Eu exagerei. Agora levanta seu traseiro gordo e vamos ver Rambo IV. Oscar de roteiro o Stallone também tem um.

- Não. Eu vou ver Juno. Se você quiser, vai no Rambo sozinho.

- Eu não posso ver Rambo sozinho. Eu tenho que ver com você.

- Por que você não pode ver Rambo sozinho? Você tem medo?

- Não, Lucas, por causa da teoria do quarto filme!

- O que? – Ele me perguntou.

- A teoria do quarto filme. Se liga! A gente viu Aliens IV juntos e foi maneiro, nós vimos A Ameaça Fantasma juntos e foi maneiro, vimos Duro de Matar 4.0 juntos e foi maneiro. Nós vimos a droga do quarto filme do Harry Potter juntos e foi maneiro! – Ele ficou calado depois da explicação. Eu podia imaginar o Gordo do outro lado, coçando a cabeça e pensando naquilo tudo. Ele deveria estar procurando uma saída técnica para aquilo, mas não existia. Ele não poderia ir contra a teoria do quarto filme.

- Tecnicamente Ameaça Fantasma é o primeiro episódio.

- Mas foi o quarto a ser feito.

- Seguindo essa linha, isso quer dizer que eu serei obrigado a ver o novo Indiana Jones com você?

- Claro!

- Hum....

- Ué, por que? Você estava pensando em ver Indiana Jones com quem?

- Para ser sincero? Com ninguém. Só queria confirmar. – Disse ele finalmente. Comecei a acreditar na vitória.

- Então? Vamos ver Rambo?

- Você realmente acha que se você for ver Rambo sozinho, o filme vai ser uma droga? – Ele me perguntou. Estava inclinado. Estava no papo.

- Não se pode ir contra a magia do quarto filme.

- Eu só tenho uma coisa para dizer para você.

- O que?

- SESSÃO DUPLA!...Uhu....SESSÃO DUPLA!!!!..... I LOVE IT!

- Ah não, cara.... você lembra da última vez que nós fizemos uma Sessão dupla?

- Não.... a muito tempo que a gente não faz uma sessão dupla. Estou com saudades.

- Você realmente não lembra da última vez que vimos dois filmes no cinema no mesmo dia?

- Porra Vic, eu fumo maconha. Eu não lembro nem da cara do meu avô...

- Mas eu lembro. Foi em 1995. Quer saber quais eram os filmes?

- Acho que já sei....

- Batman Eternamente e Johnny Mnemonic.

- E o trailer de um era mais maneiro que o trailer do outro....

- E quando nós fomos ver... duas bombas.... é a teoria da Sessão Dupla. Você não pode querer tudo ao mesmo tempo. Outro dia nós vamos ver Juno. – Ele parou do outro lado, pensou e finalmente disse.

- Hoje vai ser o dia da exceção que só confirma a regra. Vamos fazer uma Sessão dupla que vai arrasar! Let’s go!

***

- Olha os caras, ai! Quanto tempo vocês não apareciam.... – Evanildo servia as cervejas enquanto eu acendia um cigarro para ver se tirava o aborrecimento da minha cabeça.

- É porque hoje nós fomos ao cinema e resolvemos passar aqui e tomar uma cerva. – Explicou o Lucas para o garçom. Ele arregalou os olhos e ficou animado. Ele sempre faz isso. O desgraçado assiste uma porrada de filme de ação em DVD, mas não vai ao cinema. A última vez foi para ver Doutor Jivago ou coisa parecida. Então, toda vez que falamos que fomos ao cinema, ele fica com aquele brilho nos olhos.

- E vocês foram ver o que? Rambo? Parece ser legal, ele com a metralhadora passando o cerol em todo mundo. Tá tá tá tá tá tá.....

- Pois é. A sua imitação de Silvestre Stallone é o mais perto de Rambo que eu vi hoje. – Disse eu pensando qual era a melhor forma de suicídio: cortar os pulsos ou veneno.

- Nós fomos ver Juno! – Disse o Lucas empolgado.

- Ver o que? Dumbo? Vocês foram ver desenho de elefantinho voador... Que bichonas....

- Não é Dumbo, Evanildo! É Juno! – disse Lucas corrigindo o garçom. Pelo menos aquilo me animava.

- E que filme é esse?

- É de uma adolescente grávida. – Expliquei.

- Ih... já vi que aqueles filmes mela-cueca. A garota fica grávida, o pai da criança foge e engravida outra menina. O pai da garota mete a porrada na filha grávida e a mãe vai arrumar mais um emprego para sustentar a família.... – Eu ria descontroladamente e o Lucas estava se enfezando. O Evanildo continuava - Fala sério... Vocês não precisam ir ao cinema para ver isso. É só ir lá perto de casa. Tá cheio de menina nova e prenha.

- O filme tem uma história maneira, Evanildo. Você só está falando merda. Ele ganhou o Oscar de melhor roteiro original. – Disse o Lucas, mas quem se irritou dessa vez fui eu:

- Para com essa merda de “Ganhou o Oscar de roteiro”. É um filme sobre gravidez. O que pode ter de original nisso? A garota fica grávida então o filme só pode ir em três direções: Ou ela mata o bebê, ou ela doa o bebê ou ela fica com o bebê. O que de original tem nisso? Os dois últimos filmes originais sobre gravidez foram Aliens e Júnior.

- Oscar é Oscar. – Disse ele mostrando a palma da mão e deslizando o braço pelo ar. Eu rebati:

- Assassinato em Gosford Park também ganhou o Oscar de roteiro e está na minha lista dos 10 piores filmes que eu já vi na minha vida. – Lucas coçou a cabeça e soltou apenas um:

- Gosford Park sucks!

- Fala sério. As duas bichonas indo ver o filminho da menina prenha. Por que vocês não foram ver Rambo? – argumentava Evanildo. Lucas respondeu:

- Nós íamos ver. Só que minha irmã me ligou pedindo para eu voltar e ficar até fechar a loja porque ela se empolgou que nós íamos ver Juno e combinou de ir com uma amiga em outra sessão.

- E por que você não foi sozinho ver Rambo? – Perguntou Evanildo para mim.

- Por causa da teoria do quarto filme.

- Teoria do quarto filme? – Indagou o garçom. Eu bati na mesa e falei:

- Eu não vou ficar discutindo isso. – virei para o Gordo e continuei - Amanhã nós vamos ver Rambo e você vai pagar a entrada. – Disse ao Lucas.

- Tudo bem, Vic. Whatever.

- Agora, mais do que nunca, eu preciso ver um brutamonte com uma metralhadora destroçando tudo. – Evanildo olhou para mim e disse:

- Vocês perdem muito tempo indo ao cinema. O outro ali gosta de garotinha buchuda esse daqui quer ver um doidão mandando ra-ta-ta o tempo todo. Estou falando, é só ir lá perto de casa que tem isso tudo. – E finalmente eu e o Gordo concordamos com uma coisa, quando falamos juntos:

- Vai se fuder, Evanildo.

COMPRE AGORA O DVD!

5 comentários:

  1. O melhor do texto é saber q é verdade e melhor ainda é saber que existe gente como agente no mundo!

    Muito bom Vic!

    ResponderExcluir
  2. É sobre uma adolescente grávida. Eu fujo de adolescentes grávidas desde os meus quinze anos de idade!

    É isso parabens

    ResponderExcluir
  3. texto fresquinho *-*

    Abri o blog hj sem esperanças de ver atualizações e putz;

    Novo texto *-*

    Adoro isso

    :)

    Como sempre texto perfeito

    ResponderExcluir
  4. Porra, mó cara sem entrar nesse blog, entrei hoje e achei um puta texo... preciso voltar a frequentar essa bodega.

    ResponderExcluir