sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Cinco coisas que eu odeio no Rock and Roll

Gostar de um estilo de música é uma coisa, ter rock and roll na veia é outra totalmente diferente.

Rock não é apenas um estilo, é filosofia, é uma religião. É um conjunto de atitudes, modo de pensar e de compreender o mundo que acredito que nenhum outro estilo musical traz como bagagem.

Gostar de rock une tantas coisas, tantas nuances específicas, mas que são tão naturais para os roqueiros, que eu nunca conseguiria colocar em palavras mesmo se conhecesse elas todas.

Porém nem tudo é um mundo maravilhoso com fundo musical de acordes de guitarra no mundo do rock. Existem várias coisas que o rock possui e que eu realmente odeio. Irei lista-las aqui com a certeza que alguém não vai gostar do que eu disse e vai me mandar a merda. Sinceramente, para os que discordam eu quero mais é que se fodam, pois isso é rock and roll.

5 - Música de trabalho

Quando alguma banda diz que a música tal é a “sua música de trabalho” eu já começo a risca-la do meu rol de bandas rock and roll.

Primeiro que rock não tem nada haver com trabalho e sim com espírito. Se uma música foi escrita para dar certo, porque é comercialmente viável, provavelmente ela está se afastando da sua alma. A música pode continuar sendo boa, mas ela está deixando de ser rock para ser pop.

Esse é um terreno muito perigoso. No momento que uma banda de rock começa a ter “músicas de trabalho”, provavelmente começam a compor mais “baladas”. Vocês sabem como é, começam a encaixar um “love” aqui, um “baby” ali. E quando você vai ver, seu ídolo roqueiro virou um Bom Jovi.

Sei muito bem como é isso. Sempre fui fã de Aerosmith e quando digo isso hoje em dia eu tenho que fazer uma ressalva. “Sou fã do Aerosmith antes da aviadação”. Os discos primordiais da banda glorificam o rock and roll. “Rocks” é um diamante da discografia deles. Mas no final dos anos 90 para cá os caras conseguiram ir aviadando, aviadando, aviandando tanto que eu tenho certeza que eles “miss a thing”.

Uma banda brasileira que segue o mesmo caminho é o Titãs. Sei lá, sair de “Cabeça de Dinossauro” para “Por que eu sei que é amor” não é um bom exemplo de “saber viver”. Pelo menos, de saber viver o rock and roll.

4 - Caras pintadas

Ok, você é mal. Você toca Black Metal. Você é true. Você é cabeludo, você tem tatuagem, canta músicas sobre anti-cristo e provavelmente sodomiza gatos na rua. Agora me explica, o que isso tem haver com passar batom no lábio?

Ah tá, o batom é preto, você usa kajal no olho e maquiagem no resto da cara. Desculpa bicho, mas isso não te faz mais homem nem aqui e nem na Noruega.

Nada contra o Black Metal. O antigo Mayhen é do cacete. Mas eu realmente não entendo essa porra de se pintar. Não entendo de verdade. E quando chega ao nível do Glam eu só consigo sentir vergonha alheia.

Daí alguém vai falar: “Mas e o Kiss? Porra, o Kiss pintado é melhor do que o Kiss cara limpa e coisa e tal”. Tudo bem, eu também concordo. Mas se toda regra existe uma exceção, o Kiss é ela.

Sério, Se Rock and Roll fosse um brinquedo de criança ele seria Comandos Em Ação e não Barbie Make-up.

3 - Fãs possessivos

Você vai a um show mainstream tipo Pear Jam. Chega cedo para tomar umas biritas, fumar uma erva, dá em cima das roqueiras de cabelo rosa. Logo faz amizades e o papo não pode ser outro a não ser música. Você fala que gosta de Pearl Jam faz uns quinze e anos e acorda o demônio dentro da alma de alguém.

Na mesma hora o cara rebate e diz que gosta de Pearl Jam há quinze anos e dois dias. Vocês diz que tem todos os discos e o cara fala que tem todos os discos duas vezes (um é para ficar guardado e outro para ouvir). Você diz que foi expulso de sala uma vez que estava cantando Even Flow para uma gatinha ao seu lado e o cara responde dizendo que foi expulso do colégio porque estava comendo uma gatinha enquanto tocava Even Flow na bateria. Não importa o que você diga, seu amigo sempre conhecerá mais de Pearl Jam do que você e o Eddie Vedder juntos.

Por conta dessa característica filosófica o rock and roll tem uma mania de criar esses malucos possessivos. Veja bem, eles não chegam a ser violentos mas fazem questão de demonstrar que sabem mais daquela banda do que você. E o pior, na maioria das vezes eles realmente sabem. Não adianta você ficar debatendo que Porch tocou mais vezes do que Black com um cara desses

Nesse caso só tem uma solução. Ela tem uma tarja preta no rótulo e é um pouco complicado de conseguir em uma farmácia se você não tiver um esquema muito bom com o farmacêutico.

Existe uma versão hard core plus do fã possessivo. Esse cara não vai ficar discutindo com você para provar que sabe muito sobre uma banda. Ele vai te meter a porrada para te provar isso.

Esses caras você detecta em 10 segundos de conversa. Por exemplo, você diz que Roling Stones é melhor do que Beatles e o cara em fração de segundos já responde: você tá falando merda, seu imbecil. Esses são daquele tipo que levam o vinil da banda pro banheiro e toca uma bronha em cima. Eles se vestem igual a banda, tem o logo da banda desenhada em sangue na parede do quarto e na maioria das vezes recebem mensagens telepáticas do vocalista da banda mandando assassinar qualquer um que não goste do som que ele idolatra.

Preste bem atenção com esses sujeitos que nem tarja preta resolve. Nesse caso só o bom e velho 38 de cano curto mesmo.

2 - Guitarristas de banda de garagem

No início não existia nada. Então o guitarrista de banda de garagem inventou Deus que levou seis dias para construir o universo e descansou no sétimo. Coisa que o guitarrista teria feito com apenas um acorde.

Esqueça tudo que você sabe sobre música, pois certamente é tudo besteira. Fãs possessivos e Fanáticos? Esses caras possuem a mente mais simplória do mundo perto de um guitarrista de banda de garagem.

Não existe feito no universo que se compare com um solo de um guitarrista de banda de garagem. Não existe banda iniciante mais promissora do que a do guitarrista de banda de garagem. Não existe namorada mais gostosa do que a de um guitarrista de banda de garagem. A única coisa que esse sujeito nunca conseguiu foi compor uma música tão grande quanto o seu ego.

Esses caras não entendem apenas de música mais do que você, eles entendem de tudo mais do que você. Eles entendem até mesmo de você mais do que você. Eles são uma espécie de Chuck Norris do mundo musical e não existe nada que se compare com tão grande sapiência, amém.

Não me levem a mal, nem todo guitarrista de banda de garagem é assim tão egocêntrico. Tem uns que são super gente boa, conversam na moral e sempre são muito solícitos em tudo. Só que nas bandas não chamam ele de guitarrista, chamam baixistas.

1 - Courtney Love

Se existe um esgoto no rock and roll, esse esgoto se chama Courtney Love. Acho que seu passasse dois minutos com essa mulher eu teria vontade de colocar uma espingarda na minha cara e estourar os meus miolos.

Talvez eu pedisse alguém para atear fogo no meu corpo depois, só para garantir.

Eu não tenho muito a dizer sobre essa mulher, o meu ódio por ela se resume a esse vídeo do Guitar Heroes onde Kurt Cobain está cantando Bom Jovi.

5 comentários:

  1. hahahaha muito foda!!!
    pior que é isso mermo que vc falou... rock'n roll não é um estilo musical, é uma filosofia de vida.
    acordar de ressaca, tomar uma cerveja no café da manhã, beber uma vodka no almoço, jantar rum e tequila pra de madrugada encher a cara de todas as anteriores e cigarros, pra no dia seguinte, começar tudo de novo
    era bom quando eu era mais jovem, hoje em dia o corpo não agueta esse tipo de castigo, e tenho que me preocupar com carreira, casa, contas...
    :..)

    ResponderExcluir
  2. Cara, não sou seu maior fã, mas esse texto foi foda. Apesar de trintão já, quando falo de rock me sinto o molecão de camisa-preta-que-não-lavava-pra-não-estragar-a-estampa, o cara que ficava ouvindo (a fase boa) dos Beatles apenas para acompanhar o baixo e o besta que decorou TODAS as músicas do Nirvana e quase todas as do Pearl Jam (últimos expoentes do Rock no mundo, depois só veio bosta)...
    De qualquer modo, parabéns pelo texto. You ROCK.

    ResponderExcluir
  3. HAHAHAHHA!Concordo em gênero,número e grau!Especialmente ssobre os guitarristas de garagem e baixistas gente boa!

    ResponderExcluir
  4. Rockeiros xiitas agrupem-se!
    Eu ñ sou um rockeiro xiita, sou um moderado, gosto de diferentes estilos musicais mas o bom e velho rock n’ roll é uma herança dada pelo meu pai que me mostrou alguns clássico já na minha tenra idade.Led Zeppelin, Rolling Stones, Yes e Black Sabbath são até hj figurinhas fáceis no micro system dele.Agora que se tem uma coisa que me tira do sério são os fãns dos Beatles! Sim a banda é foda. Mas eu ñ aguendo a prepotencia de um malandro que se acha melhor que todo o resto por conta de uma coisa que ele apenas curte ouvir.Para eles eu falo que Rolling Stones é muito melhor, tanto que estão vivos até hoje!I can get no... SATISFACTION!

    ResponderExcluir